Gestão de Empresas

Compartilhe

0
Shares
0 0 0 0
João Bulek
20 de maio de 2020

Centro Europeu entrevista João Bulek: Como preparar financeiramente minha empresa em meio à pandemia?


A pandemia do coronavírus atingiu as empresas de diversas maneiras, com queda na demanda, diminuição ou paralisação da produção, dificuldades de logística, instabilidade no cenário econômico mundial e dificuldade de acesso à crédito. Em meio a este cenário de incertezas, o empresário precisa estar preparado para manter a saúde financeira do seu negócio.

Preparamos esta rápida entrevista com o João Bulek, responsável pelo módulo de Gestão Financeira do cursoSalve-se quem puder. E você pode!, com algumas dicas práticas que o empresário pode tomar neste momento. Conheça mais sobre o curso aqui.

Centro Europeu (CE): Esse momento de crise tem colocado à prova muitos empresários. Como organizar as finanças da empresa de forma rápida e emergencial?

João Bulek (JB): Temos que pensar medidas a um prazo muito curto. Viramos dois meses com essa crise que estamos passando, já temos março e abril fechado, estamos no decorrer de maio. O principal para o empresário é conseguir enxergar o negócio como um todo, o oxigênio da empresa que é fluxo de caixa.

A gente tem batido muito nessa tecla, afinal hoje, uma empresa que não consegue se sustentar não dependendo das próprias vendas, receitas e serviços, precisa ter pelo menos um fôlego de 2 ou 3 meses de caixa. É o que tenho visto muito agora: empresários que já estavam preparados para eventuais problemas que pudessem passar ainda estão conseguindo se sustentar por esta ideia de ter pelo menos 2 ou 3 meses de reserva financeira para poder sustentar o negócio.

Junto com isso, a medida imediata que reflete no fluxo de caixa é enxergar, realmente, as despesas e custos da empresa. Hoje a negociação está muito aberta, então o empresário consegue entrar em contato com o seu fornecedor, com o prestador de serviço, com o responsável aluguel do imóvel. Se preciso, ele deve fazer negociações com todos, seja a redução de valores, postergação ou parcelamentos. E daí sim enxergar novamente o cenário da empresa.

CE: Se pudesse dar uma dica para o futuro, para os empresários, qual seria?

JB: A dica para o futuro é planejamento. A gente sabe que o planejamento é um item primordial para uma empresa, mas escutamos muito que o empresário não tem tempo de fazer planejamento.

Hoje o que o empresário mais tem é tempo, afinal muita gente está trabalhando em casa, com os horários um pouco mais tranquilos. O empresário deve usar bem esse período, trabalhar planejamento a curto, médio e longo prazo.

Hoje tem muito material online e o gestor tem que aproveitar este momento de conteúdo de qualidade disponível. Mas é preciso ser criterioso e buscar conteúdo de qualidade, porque tem muita coisa ruim disponível.

Com o planejamento, o gestor consegue enxergar os cenários da empresa em situações normais. E só com planejamento é possível vislumbrar algumas soluções para situações de crise como esta que a gente está passando.

CE: Qual a principal dificuldades dos gestores na hora de tomar decisões que envolvem as finanças?

JB: São duas as principais dificuldades. A primeira é misturar os negócios com as finanças pessoais, seja por ser um negócio familiar ou por ter familiares trabalhando na própria empresa. Isto é um erro muito comum e é um erro clássico que, infelizmente, prejudica muito a empresa.

O empresário precisa saber que a sua Pessoa Jurídica é uma pessoa diferente da sua Pessoa Física, saber que a receita da empresa é uma e que a receita da empresa não é a sua receita familiar. Com certeza separar as despesas é o primeiro item.

Esta dificuldade que as pessoas têm de enxergar a separação de despesas faz com que elas tenham dificuldades em tomar decisões.

Em paralelo a isto, a falta de planejamento. A gente vê muito empresário que age diariamente de acordo com a “própria música”. Se a música está ótima, boas decisões. Se a música está ruim, então as coisas estão ruins. O planejamento faz com que o gestor enxergue além da situação do dia a dia, através do planejamento da semana, do mês e do próprio ano.

Quem trabalha com planejamento, agora está em processo de reestruturação do planejamento, porque ninguém imaginava que ia chegar na proporção que está hoje e a gente não sabe até onde vai. Neste momento, eu acredito que o planejamento tem que ser trabalhado semanalmente, traçando cenários a médio e longo prazo.

Compartilhe:


Deixe seu comentário