Artes Visuais

Compartilhe

0
Shares
0 0 0 0
30 de março de 2017

A arte de tatuar com o coração


Hevelyn encontrou inspiração e referências no curso de artes visuais do Centro Europeu

Antes mesmo de escrever as primeiras palavras, Hevelyn Likes já era fascinada pela arte do desenho. Ilustrava os livros do pai com a intenção de dar mais vida a eles, que de rabiscos foram ganhando contornos cada vez mais refinados e bem compostos. Quando jovem, dividiu a paixão com a graduação em administração, permanecendo agarrada à falta de “algo para dar brilho aos dias”. Há cinco anos, em paralelo com a gestão, Hevelyn retomou o pedaço que lhe faltava e se lançou a um desafio empolgante.

 

“A cada dia que eu estudava sobre tatuar, mais me via tatuando. Nos primeiros trabalhos sentia aquele frio na barriga e hoje estou sempre com paz interior e um sorriso estampado no rosto, pois sei que faço o que amo”, conta ela, que se diz recompensada por cada trabalho, que traz de presente a emoção de quem é tatuado. Com o estúdio aberto desde 2014, Hevelyn passou a se dedicar integralmente à tatuagem, sempre em busca de técnicas e desenhos que a inspirassem a definir um estilo próprio.

 

E foi a ânsia por novidades que a conduziu ao curso de artes visuais do Centro Europeu, em 2016. “Eu queira ir além do que eu conhecia, trazendo outras formas de arte para dentro da tatuagem e ao mesmo tempo levando os traços da tatuagem para as telas e esculturas”, associa. A escolha veio acompanhada da convicção de que o estudo teórico dos gêneros artísticos seria uma constante do curso. “Não sabia que seria surpreendida por professores com tanta experiência neste ramo e principalmente com a vontade de dividi-la conosco. A cada aula meus olhos brilhavam e em minha mente passavam infinitas possibilidades de aplicação no dia a dia. Certamente, minha visão de arte ia se moldando e a vontade de criar era atiçada junto dela”, ressalta.

 

Desde então, a percepção artística de Hevelyn foi aguçada, o que permitiu a concepção de uma forma particular de pintar e desenhar. “O contato com artistas atuantes no mercado foi um fator positivo no curso, pois pude acreditar mais na profissão de artista, tirar dúvidas, aprender técnicas utilizadas em seus trabalhos e agregar este leque de conhecimento ao meu cotidiano”, complementa. Hoje, ela define a arte que desenvolve como o encontro entre os sentimentos do tatuado à uma criação personalizada. “Utilizo os traços de Sketch (quase como rascunhos) misturados à sutileza da aquarela, hora em tons pasteis, hora em tons vibrantes para dar a expressão que cada tema exige”, resume.

tatoo

Um dos trabalhos da jovem tatuadora que reverbera alegria e orgulho e é, para ela, influência do curso é um conjunto de tatuagens que faz referência à obra Alice no País das Maravilhas. “Esse conjunto foi inspirado em técnicas que aprendi no Centro Europeu, as quais sempre me fazem sorrir e sentir orgulho de criar um trabalho atual e diferenciado dentro do mundo da tatuagem”, destaca.

Compartilhe:


Deixe seu comentário