Design de Interiores

Compartilhe

0
Shares
0 0 0 0
postblog
10 de março de 2017

Quando a empresa começa dentro de sala de aula


           Ex-alunas de Design de Interiores do Centro Europeu gerenciam escritório especializado

 

Acordar entusiasmado com o próprio ofício e inspirado a dar o melhor de si é, para muitos, uma exceção à regra do cotidiano. Na realidade, esse estado de espírito acaba por se manifestar em dias específicos ou em virtude de novos projetos. Disposta a resgatar essa motivação, Simone Pacheco decidiu apostar naquilo que antes era percebido como um singelo hobby: a arte de idealizar e decorar ambientes.

 

“O curso de design de interiores do Centro Europeu surgiu como uma possibilidade de me inteirar em um universo que sempre me atraiu. Logo que percebi que poderia fazer do hobby uma profissão, apostei na mudança e hoje posso dizer que meu trabalho não é um trabalho. É a realização de um sonho”, conta.

 

Formada em direito, tendo advogado por cerca de 15 anos, ela aproveitou a mudança de estado com a família para reinventar a si mesma. Os novos ares, somados à coragem e despretensão de Simone renderam o emprego em uma grande loja de iluminação, conquista experimentada por ela antes mesmo que pudesse desembalar parte da vida nas caixas de mudança.

 

As novidades estavam apenas por começar. Sempre atenta às tendências de decoração, a designer recebeu o convite de gerenciar as mídias sociais de algumas empresas do segmento, todas interessadas no conteúdo técnico e aprofundado da profissional. “Foi o curso de design de interiores que me abriu essa oportunidade, pois muitas dessas empresas passaram veem o ofício de designer como um diferencial”, completa.

 

As experiências trouxeram a oportunidade da designer retornar à instituição na qual se formou. Dessa vez, como docente. “Fui convidada a dar aulas de iluminação no Centro Europeu. Sempre tive facilidade em me expor, por conta da advocacia, mas nunca havia dado aulas. Com elas, porém, me sinto muito mais confortável e sei que vou saber contornar qualquer situação que surgir”, compara. Inspiradas pelo perfil e trajetória da professora, duas designers, que haviam sido alunas de Simone, revelaram o interesse em abrir uma sociedade com ela. “Nosso escritório abriu há alguns meses, mas já temos vários clientes. O próximo passo é encontrarmos o espaço físico para estruturara-lo”, compartilha.

 

Ao revisitar a própria trajetória, a designer comemora a liberdade e a satisfação alcançadas ao longo dos anos. “Nunca imaginei chegar até aqui. O design me trouxe retorno financeiro e me deu mais tempo com a minha família. Além disso, como advogada eu lidava com dívidas e problemas, hoje me envolvo com pessoas que querem construir sonhos e estão começando uma nova fase da vida”, salienta.

 

 

 

Compartilhe:


Deixe seu comentário