Artes Visuais

Compartilhe

0
Shares
0 0 0 0
ig-cine-condor-carrossel-01-1
7 de março de 2017

Antigo Cine Condor ganha vida com painel pintado à mão


A preocupação em transitar com rapidez de um ponto a outro da cidade deixa escapar dos olhos detalhes ricos e singulares. Com o intuito de resgatar essa percepção do entorno, o projeto Cosmic Boys, realizado pela produtora Mucha Tinta com o apoio do Centro Europeu, acaba de presentear os curitibanos com uma obra de cores vibrantes e que ocupa três grandes murais em um dos pontos mais centrais da capital.

 

Situados entre as ruas Ébano Pereira e Cruz Machado, os muros do antigo Cine Condor, desativado há cerca de 20 anos, ganharam os traços e as técnicas de três artistas de renome internacional. Juntos, Ramon Martins, Rimon Guimarães e Zéh Palito coloriram a fachada com o suporte de ex-alunos do Centro Europeu e outros voluntários. Ao longo de três semanas, o grupo trabalhou na criação do painel Entre Mundos, que entrelaça os estilos de cada artista, propondo um diálogo com a cidade.

 

ig-cine-condor-carrossel-02

Com o nome de Entre Mundos, mural fica entre as ruas Ébano Pereira e Cruz Machado

Conforme a produtora do projeto, Giusy De Luca, a ideia do mural nasceu do desejo de sensibilizar as pessoas para que percebam o entorno. “A arte urbana tem exatamente esse potencial de atingir as pessoas, colorindo a cidade e formando novos públicos”, sintetiza. Ela lembra ainda que o casamento das técnicas dos três artistas é inédito em Curitiba. “A troca entre os artistas e os demais voluntários, incluindo os do Centro Europeu, foi muito rica. Nesse período também recebemos a visita de fotógrafos expressivos”, comemora.

 

Uma das envolvidas com a obra foi a fotógrafa Juliana Libretti, formada há dois anos no curso de Artes Visuais do Centro Europeu. “A experiência foi muito enriquecedora. Além da técnica aprendida com os artistas, de como e quando usar cada cor e pincel, por exemplo, saio com a satisfação de ter feito parte de um projeto que deu mais cor à cidade”, conta. Do curso e de experiências práticas como essas, ela busca inspiração, referências e novos significados para aplicar na fotografia, ramo em que atua hoje. “Depois do curso, me dediquei mais à carreira de fotógrafa, mas quero sempre carregar a bagagem artística que adquiri. Ver um espaço antes abandonado ganhar vida é gratificante”, garante.

 

Além do Centro Europeu, também participaram como apoiadores do projeto – realizado por meio do Mecenato Municipal com incentivo da Caixa Econômica Federal em conjunto com a Fundação Cultural de Curitiba e a Prefeitura de Curitiba – a Secretaria de Estado da Cultura, a Coordenação de Patrimônio do Estado e a Plataformas Mills.

Compartilhe:


Deixe seu comentário