Design de Moda

Compartilhe

0
Shares
0 0 0 0
up
29 de março de 2017

Upcycling: A nova tendência em moda


O conceito transforma o que seria descartado em peças exclusivas

Já imaginou ter uma peça confeccionada para você e cuja matéria-prima foi encontrada em um lugar menosprezado pela maioria das pessoas? Vertente da reutilização, a arte do upcycling dá novo significado àquilo que, a princípio, seria destinado ao lixo por não apresentar valor comercial. Conhecido pelo público a partir de 2002, o termo se sustenta em dois pilares: economia e transformação.

 

Conforme a professora do curso de Design de Moda do Centro Europeu, Nicolle Gora, diferente da reciclagem, o upcycling faz uso de materiais já existentes para criar algo que surpreenda e, mesmo assim, seja baseado em traços originais das peças. Por essa abordagem, embalagens e sacos de cimento utilizados podem dar vida a bolsas, sapatos e acessórios únicos e elegantes. “Por ser um processo que não desperdiça energia ou faz uso de materiais químicos para reciclagem, ele pode ser muito eficiente em larga escala na indústria da moda, que é, hoje, a segunda mais poluente do mundo”, reforça.

 

A proposta pode parecer ousada e até mesmo um pouco excêntrica, mas já ocupa as vitrines de capitais como Londres e Berlim. No Brasil – onde são confeccionadas, por ano, cerca de nove bilhões de peças de roupa -, o conceito ainda é incipiente, mesmo com a estimativa de que por volta de 170 mil toneladas de retalhos sejam produzidas anualmente no país.

 

Ainda assim, a técnica, vista por Nicolle como uma aliada da sustentabilidade por recolocar no topo do ciclo da produção um material que já está no fim dele, é fruto dos anseios da geração Y. “Desses novos recortes, modelagens e processos produtivos nascem peças únicas e com alto valor agregado. O upcycling resulta de uma consciência ambiental, principalmente desse público que cobra mais ética e transparência das empresas”, resume.

 

Para ela, dar ouvidos a esses consumidores significa repensar toda a cadeia produtiva do mercado da moda, priorizando a mitigação de impactos ao meio ambiente. “Além disso, manifestar essa veia inovadora, de modo a conter desperdícios e extrair o melhor de cada produto, pode trazer economia e ser um diferencial competitivo para o mercado”, completa. Para dar vida à inovação, contudo, a professora lembra que não há segredo. “A partir das preferências e necessidades do seu público, é preciso lançar mão de bom gosto e criatividade sem receios. O resultado será nada menos do que combinações atrativas e interessantes”, orienta. Entre as marcas citadas por ela como aquelas que já estão nesse caminho estão a Comas, a Re-Roupa, a Farrapo Custom e a Insecta Shoes.

 

O upcycling também é um dos módulos do curso de Design de Moda do Centro Europeu, que visualiza no aprendizado de tendências como essas a oportunidade de preparar seus alunos para os desafios do mercado de trabalho.

Compartilhe:


Deixe seu comentário