Gastronomia

Compartilhe

0
Shares
0 0 0 0
o-que-faz-diferenca-na-hora-da-panificacao
6 de novembro de 2017

O que faz diferença na hora da panificação?


Atenção à qualidade dos insumos e utensílios é essencial. Conheça outras dicas

Seja em um encontro entre amigos, seja em uma reunião corporativa, o café fresco e o pão quentinho de uma confeitaria embalam um momento que tem tudo para ser, no mínimo, agradável. Porém, estar convicto de ter encantado os clientes é cuidar de todo o processo de produção do cardápio, a começar pelo protagonista de qualquer padaria: o pão. Confira as dicas do professor de Pâtisserie e Boulangerie do Centro Europeu, Jeferson Trevizan, sobre o que faz diferença quando o assunto é panificação.

Divulgação/Centro Europeu

Qualidade, rendimento e prevenção de desperdício devem estar entre os cuidados da equipe

⦁ Qualidade
Ainda que possam significar, a princípio, um alto investimento, são as máquinas e equipamentos usados na panificação os responsáveis por conferir a qualidade dos produtos. Por isso, a dica do Jeferson é buscar empresas que tenham referência no fornecimento desses utensílios e que também apresentem assistência técnica própria. Invista em esteiras, masseiras semirrápidas, fatiadoras, modeladoras e resfriadores!

⦁ Praticidade
Ainda no espectro dos equipamentos, siga a linha da praticidade. “Opte por amassadeiras do tipo semirrápida, que trazem mais qualidade às massas, e, se possível, fornos do tipo lastro pela mesma razão”, orienta o professor. Aposte ainda em utensílios de aço inox e com selos de qualidade. Isso tudo também irá facilitar a higienização.

⦁ Insumos
Mas não se engane: nem tudo são máquinas. Deposite uma parte considerável dos investimentos em insumos considerados referência em saúde, como é o caso dos orgânicos e daqueles com menos corantes, acidulantes e aditivos químicos.

⦁ Treinamento
Conforme Jeferson, fechar com chave de ouro uma cozinha destinada à panificação também é aguçar os olhos do time de profissionais a fatores como qualidade, rendimento e prevenção de perdas na produção final. “Estar atento às tendências mundiais, como fermentação natural de pães é outra sugestão”, aconselha.

⦁ Fornecedores
Na busca por fornecedores de confiança, o professor sugere recorrer aos sindicatos de panificação estadual e nacional. “Donos de estabelecimentos há anos, eles conhecem os melhores e mais confiáveis fornecedores para relacionamentos comerciais”.

Essas e outras orientações são dadas pela equipe de docentes durante as aulas dos demais cursos do Centro Europeu. Entre já em contato conosco e agende uma visita para conhecer a sede!

Compartilhe:


Deixe seu comentário